Fatia de Vida- Fantasmas, Ninjas e Implantes de Memória.

Eu acredito que todos temos nossos fantasmas particulares.  E por “fantasmas” eu não me refiro necessariamente a manifestações ectoplasmáticas provenientes de seres desencarnados do nosso plano de existência. Os “fantasmas” dos quais falo são aqueles pensamentos, sentimentos e dúvidas que insistem em pairar ao nosso redor, nos atrapalhando e distraindo-nos de nossos afazares diários.  E eis que, nas últimas semanas, eu me vejo sendo assombrado por uma destas cruéis dúvidas: Qual foi o primeiro jogo de video-game que joguei na vida?

Fantasmas1

Não tentarei dramatizar esta pequena perturbação de maneira exacerbada, mas, mesmo admitindo que não se trata de um grande problema, isto ainda me incomoda.  Talvez a maior razão para isto seja o fato de eu ter vagas lembranças, como imagens turvas, do que seria meu primeiro jogo, mas nenhuma pista ou prova concreta da existência dele, como um bom fantasma deve ser. De fato,  tenho fortes suspeitas de que este game que tenho em minha memória sequer existe de fato.

What a Twist

Lembro-me de estar sentado ao lado de meu irmão mais velho, ambos com idades inferiores a duas casas decimais e cada um com um controle nas mãos. Um “famiclone” no chão (nem acho que era nosso), e dentro dele um cartucho amarelo japonês, parecido com aqueles “500 jogos em 1”, mas este continha apenas um.

E você achando que EU estava exagerando com o ''500 em 1'', hein?

E você achando que eu estava exagerando com o ”500 em 1”, hein?

O cartucho era ornamentado com um desenho de um pequeno ninja vestido de vermelho, uma escolha de cor interessante para um assassino que se oculta nas trevas, mas que não questionei na época. Se bem me lembro ele estava… voando? Bem, dado o histórico de ninjas nos video-games, não parece tão estranho.

Pelo menos ele se veste de preto.

Pelo menos ele se veste de preto.

Quanto a jogabilidade em si, lembro-me apenas do pequeno ninja vermelho e de vários projéteis na tela, o que me leva a crer que talvez o jogo fosse um “shoot’ em up de ninjas voadores”, que para mim consegue soar ridículo mas verossímil ao mesmo tempo, dado o contexto. Infelizmente, minhas tentativas de busca por ”Ninja Shoot’ em up Famicom” no google não obtiveram sucesso algum.

O mundo é tão injusto...

O mundo é tão injusto…

Sequer tenho ideia se havia algum multiplayer, ou se o controle em minhas mãos não passava de uma distração empregada pelo meu irmão mais velho, para que eu o deixasse jogar sem perturbações. Truque este que eu viria a aplicar diversas vezes no futuro.

Sim, esta é a Recruta do Panda, minha sobrinha.

Mas que de nada vale contra as crianças de hoje em dia.

Acho que este texto é uma maneira minha de, ou conseguir ajuda para descobrir mais sobre este jogo, ou exorcizar este implante de memória que possivelmente apliquei em mim mesmo afim de prover-me com uma primeira experiência nesta mídia que tanto amo, uma vez que era novo demais para recordar-me. Motivo bem egoísta para um post, mas tenho certeza que todos temos um “fantasma” destes, seja ele um jogo, filme, livro ou qualquer outra coisa, então gosto de pensar que não estou sozinho nisto.

E enquanto a ajuda não vem, tento resolver meu problema à minha maneira.

E enquanto a ajuda não vem, tento resolver meu problema à minha maneira.

 

Anúncios

Sobre General do Panda

Sou um General do Panda, Nunca Viu?
Esse post foi publicado em Fatia de Vida, Outros e marcado , , , , , , . Guardar link permanente.

7 respostas para Fatia de Vida- Fantasmas, Ninjas e Implantes de Memória.

  1. senhorsombrio disse:

    Quando falaram do blog lá no MDM eu achei que ele tinha um super-ultra-mega template, era uma page muito bem bolada, mas não. O que também não significa que seja ruim… o meu também não é lá essas coisas.
    Se der eu aparece por ai…

  2. Ken-Oh disse:

    Putz eu acho que lembro desse jogo do Ninja. Já joguei também mas ainda to indeciso pois tenho na memoria dois jogos de ninja vermelho.O 1° Era de um ninja vermelho gordinho que lutava contra ninjas pretos enquanto ele tinha de subir até o topo da fase,o jogo variava a fase toda hora e nunca era a mesma coisa. O segundo já era mais serio começava numa floresta e esse ninja ( que se não me engano era uma kunoichi) tinha de salvar uma mulher, lembro que depois de 3 fases a porra da mulher era raptada de novo. não sei se são esses mas são os que lembro do meu falecido Turbo Game.

    Em falar em 1° jogo o meu foi o Brush Roller do Nes que vinha com o próprio Turbo game,o jogo era terrível e eu raramente jogava pois era muito moleque e nem tinha muito dinheiro pra comprar os cartuchos que eram caros pra caramba.

    • Se teve algo que descobri é que aparentemente tem muito, muito, mas MUITO jogo de ninja mesmo no Nintendinho XD

      No fim das contas meu irmão conseguiu encontrar o jogo, e ele é meio diferente do que eu lembrava (é, a ideia de ser um shoot’ em up era ridícula e errada mesmo), mas a cover do jogo é exatamente a que eu lembrava. Talvez eu faça um post sobre a experiência de jogar meu primeiro jogo de infância novamente.

      Pesquisei sobre o Brush Roller, nunca tinha ouvido falar. Aparentemente muita gente mesmo teve ele por aqui. Pareceu um tipo de Pacman bizarro. E sim, era clássico ”Masterizar” jogos por não ter condições de comprar novos.

      Como sempre, valeu pelo comentário, Ken-Oh! o/

  3. Controle com direcional na direita e botões na esquerda = MELHOR CONTROLE

  4. Marcos Andrade disse:

    cara…. só tenho uma coisa a dizer… Juju PANDA!!! xD

Deixe seu comentário, dica, opinião não relacionada ou propaganda descarada aqui

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s