Fatia de Vida- Como Comprei meu PS Vita.

Naquele dia eu acordei cedo. Precedi o despertar do Sol em pelo menos uma hora, tal qual um infante em manhã de Natal, esperando para abrir seus presentes.

Referência Antiga Obrigatória... Check!

Referência Antiga Obrigatória… Check!

Toda aquela antecipação era no entanto um esforço fútil. No mínimo 10 horas me separavam de meu objetivo. Seria o tempo que levaria para que as lojas abrissem. E como todos sabemos, o tempo é um filho da puta um adversário invencível.

Tipo o Omega Rugal no Very Hard.

Tipo o Omega Rugal no Oitavo Nível de dificuldade.

Os meses que se precederam não foram simples. Todos sabem que manter dinheiro na carteira é tão simples quanto capturar um Snorlax com uma Pokébola comum. A dor, o sofrimento e a frustração são palpáveis, mas a recompensa pelo esforço é poder esfregar na cara de todos “Eu consegui!”. À menos que ainda estejamos falando do Snorlax. Neste caso tudo que você conseguira é uma pilha de sonhos quebrados e um gordo rindo da sua desgraça.

Que coincidentemente é oque me acontece sempre que uma empreitada minha falha e a compartilho com amigos pelo skype.

Que coincidentemente é oque me acontece sempre que uma empreitada minha falha e a compartilho com amigos pelo skype.

De qualquer forma o câmbio monetário fora economizado com sucesso. Desde o anúncio de Persona 4: Saturday Night Fever eu havia me decidido pela compra de um PS Vita, e finalmente o dia havia chegado. O dia, mas não a hora. Não sei quanto à vocês, mas eu ainda possuo traços de personalidade infantis aos quais me agarro, talvez numa tentativa falha de retardar meu envelhecimento. E um desses traços é o que gosto de chamar de “distúrbio PEPANB“. O que seria PEPANB, você pergunta? Trata-se do Processo de Espera Para Aquisição de Novo Brinquedo, algo comum em crianças e alguns adolescentes, mas que costuma desaparecer gradativamente, conforme o indivíduo adquiri maturidade. Obviamente este não é o meu caso.

Meu computador. Um exemplo de maturidade.

Meu computador. Um exemplo de maturidade.

O PEPANB tem como sintomas:

-ansiedade acentuada;

-falta de fome;

-mal-humor;

-sonhos freqüentes com o objeto de desejo, sendo que estes que tornam-se mais vívidos conforme a data da aquisição do dito produto se aproxima, até o ponto em que evolui em insônia devido a antecipação;

-obsessão direcionada ao objeto de desejo, que passa a tornar-se o único assunto de interesse do indivíduo.

No entanto o sintoma mais cruel não surge até poucas horas antes da aquisição do novo aparato de divertimento. A melhor coisa para se fazer enquanto se espera é arrumar uma distração, preferencialmente uma atividade que traga diversão ao “esperador”. Neste ponto a faceta mais cruel do PEPANB emerge, ao sugar toda vontade ou motivação de realizar qualquer atividade outrora prazerosa do seu ser. Eu poderia esperar o horário derradeiro enquanto jogava algo, mas toda e qualquer coisa tornou-se uma razão para não fazê-lo.

PEPANB

Quando minha mente estava prestes a se quebrar (bom… mais do que ela já está normalmente), eu escutei um barulho. O alarme do meu celular disparava, anunciando que a hora de partir em minha jornada havia chegado! Levantei-me e comecei a me preparar para sair. Vesti minha indumentária de fazer compras, roupas leves e confortáveis que facilitam a movimentação. Peguei minha mochila e ordenei que meu PS3 iniciasse o download de Spelunky e Hotline Miami, jogos que já possuía associados à minha conta da PSN, para que ambos estivessem prontos para se jogar assim que eu retornasse.

Partindo

Minha jornada me levou ao “Triângulo das Compras”, uma área da cidade onde 3 grandes centros de compra coexistem, próximos um ao outro, cada um com uma característica própria: um com uma maior seleção de lojas à disposição; um com um cinema melhor equipado; e o ultimo com… uma parada de ônibus bem em frente.

E levando em consideração a qualidade de nossas paradas, acho que sabemos qual é o melhor dos 3.

E levando em consideração a qualidade de nossas paradas, acho que sabemos qual é o melhor dos 3.

Para completar minha jornada seria necessário que eu percorresse todos os 3 Grandes Centros Comerciais, não apenas a fim de pesquisa de preços, como também para recolher meus “créditos imperiais”. Como qualquer andarilho, eu não ando com valores maiores do que um milkshake de Ovomaltine grande, desta forma, todo meu dinheiro economizado estava em minha conta bancaria. Ou melhor, nas minhas contas bancarias. Eu precisaria reaver a partes do valor da minha compra em diferentes caixas, sendo que cada um dos Centros de Compras possuía um caixa eletrônico de banco distinto. Felizmente esta tarefa não seria muito difícil, uma vez que, salvo a humilde pernada pela qual eu iria passar, não haviam grandes obstáculos a serem conquistados naquele lugar. Ou isto é o que eu havia pensado.

Um obstáculo manteve-se persistente por todo o período de minha marcha, e este era o Sol. Não sei se inspirado por estarmos em seu dia, o domingo, mas este insistia em bombardear qualquer transeunte que estivesse passando com baforadas de calor equiparáveis às de um Dragão Vermelho que acabara de ingerir uma quantidade significativa de curry. A cada dois passos que dava era necessário que eu levasse a mão na testa para evitar que meu suor alcançasse meus olhos. Eu sentia tanto calor enquanto fazia o backtracking entre os Shoppings que poderia jurar que o Sol estava me stalkeando, tal qual um Otaku de 30 anos com uma Cosplayer de 16 em um evento de anime.

DoucheSun

Nesse momento tiro um minutinho para perguntar se o caro leitor adquiriu um PS Vita no último mês. Se sua resposta for afirmativa, saiba que estou (e estarei, possivelmente até o próximo mês) odiando suas entranhas! Não tenho certeza se houve uma queda significante no preço do portátil nos últimos tempos ou se pervertidos se empolgaram com o lançamento de Akiba’s Trip 2 em solo ocidental, mas boa parte dos PS Vitas que enfeitavam as vitrines no último mês desapareceram, reduzindo minhas opções de compra. Ao finalmente decidir-me sobre qual loja herdaria meus trocados, me vi enfrentando um ultimo obstáculo. Naquele dia, nenhuma loja de jogos naquele shopping específico tinha o famigerado cartão de memória do Vita, à exceção do exorbitantemente caro cartão de 32GBs. Já exausto de minha caminhada através do Triangulo das Compras eu não tinha mais energias para ir a outro Shopping atrás do cartão e tampouco iria esperar para compra-lo outro dia, não já havendo chegado tão longe. Foi quando a salvação veio em forma de uma loja inesperada, mas conhecida por vender perfumes e maquiagens, mas que, talvez num ato de solidariedade aos parceiros e filhos de suas clientes, possuía uma seção destinada a jogos, e lá se encontrava um dos cartões. O último de sua espécie. Após cerca de 3 longas horas minha jornada finalmente chegara ao fim. Doce, Doce Vitória!

Freeze Frame

E como toda boa história, esta se finaliza com um Freeze Frame.

Espaço

Epilogo:

Sem título

Anúncios

Sobre General do Panda

Sou um General do Panda, Nunca Viu?
Esse post foi publicado em Fatia de Vida, Outros e marcado , , . Guardar link permanente.

2 respostas para Fatia de Vida- Como Comprei meu PS Vita.

  1. Texto super divertido! Exijo tirinha semanal das Aventuras do General do Panda JÁ!

    • Valeu, Marcus. o/
      Não posso garantir historias semanais porque minha vida costuma ser calma demais. Mas sempre que eu tiver alguma experiência a relatar que seja meramente relacionada a video-games eu devo escrever um texto nestes moldes e com essas minhas imagens toscas de Paint.

Deixe seu comentário, dica, opinião não relacionada ou propaganda descarada aqui

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s