To Be Continued: Outubro/2013

tobecontinued5

Chegou outubro, e com ele, mais lançamentos. Apesar do GTAV ainda estar roubando muito tempo meu (Maximus), esse mês sai um jogo que roubará muito mais tempo de um certo participante…

Ed Shemp

Nem toquei em GTA 5, tendo em vista a excelente ideia de não lançá-lo para PC…

Em outubro jogarei algo diferente. Apesar de todos me acharem um cara só mainstream de jogos de ação, eu ainda sou o cara que adora jogos como Rule of Rose e ICO. Não joguei GTA5 no PS3 de ninguém, mas Rain eu vou jogar. E espero gostar muito dele. Sou fã de jogos intrigantes e Rain certamente me intrigou. Não espero um gameplay foda nem uma das melhores estórias ever, mas espero puzzles inteligentes e elementos obscuros de enredo que me façam ficar interessado em entender quem são aquelas crianças e o que está havendo com elas. Também espero que não seja o Ami desse ano…

Maximus Decimus

Setembro foi um mês inesperado: Além de ter levado mais tempo que necessário para zerar o Tomb Raider (em compensação, com mais de 90% sem ter que fazer backtracking, o que me torna legalmente portador de T.O.C.), recebi de presente de aniversário de um grande brother o GTAV, e ele acabou por sugar todo o resto do tempo que eu tinha este mês (e provavelmente boa parte de outubro). O que eu achei? Vocês só saberão no podcast de fim de ano!

Agora em outubro, espero que seja possível eu jogar o Beyond: Two Souls, já que sou grande fã de Heavy Rain. Joguei a demo na PSN e achei meio ruim a jogabilidade, espero que a história salve (iria escrever uma demo review, mas como o jogo já saiu, foda-se).

Mas o jogo que com certeza jogarei em outubro é O Phoenix Wright Ace Attorney: Dual Destinies. Quem me conhece sabe que eu adoro a série, joguei todos menos o Investigations 2, já que este nunca saiu em inglês (obrigado, Capcom), e eu joguei a demo e achei foda os gráficos novos (pra esse dará tempo para escrever o demo review).

Quanto ao Assassins Creed 4, com certeza irei jogar, mas provavelmente não em outubro.

General do Panda

Faz tempo que não leio ‘’O Inferno de Dante’’ (tipo, ‘’ever’’), mas estou bem certo que entre as descrições do livro se menciona um dos círculos do inferno no qual você é obrigado a jogar jogos de stealth em primeira pessoa em ambientes escuros, sem mapas, muitas vezes sem indicações claras de onde se deve ir, onde você precisa encontrar 3 itens para fazer um quarto funcionar e então poder avançar a estória… tudo isso enquanto tenta se esquivar de um inimigo invencível. Outlast recria com perfeição essa experiência.

Então, por esse parágrafo inicial fica bem claro minha insatisfação com o jogo, correto? Bem… pra dizer a verdade Outlast é o jogo que mais me deixou dividido o ano inteiro, e não estou me referindo às diversas vezes que fui decapitado.

BADUMTSS Se por um lado o jogo tem todas essas falhas já citadas, por outro lado é possível fazer o argumento de que elas, em sua maioria, são propositais. Um mapa ou qualquer tipo de indicação mais vívida do caminho iria contrastar com o resto da ótima ambientação que o jogo tem. Ter que correr, se esconder e evitar ser encontrado, tudo em primeira pessoa, trás uma tensão maior ao jogador. Minha maior crítica fica mesmo em relação a esses ‘’puzzles’’ necessários para seguir em frente, que se repetem ao longo de todo e, para mim, quebram muito o ritmo do mesmo.

Tirando estes pontos negativos, Outlast é uma experiência de horror bem executada. O jogo consegue com facilidade colocar você na pele do personagem principal e fazer você se sentir totalmente impotente perante os horrores que residem no hospício Mount Massive. Miles Upshur, o personagem principal, praticamente não fala, mas não por ser mudo, simplesmente por não ter com quem conversar. Em contra partida, conforme se aprofunda nos segredos da mansão em que se encontra, podemos ouvir sua respiração acelerando e todo o seu desespero, sem ser necessárias palavras. A maioria dos inimigos que você encontra são genéricos, mas alguns deixam sua marca (às vezes física- e psicológica-mente).

Um clima sinistro, alguns sustos e momentos memoráveis fazem com que o jogo tenha valido à pena para mim. É um jogo com defeitos, mas que no fim cumpre sua bem proposta.

E para Outubro, o jogo que vai explodir o mundo, Pokémon X/Y. Por que? Porque ‘’quero ser o melhor, e pra isso eu sei, tenho que correr e conseguirei!’’ 

PS DO MAXIMUS: Engraçado este mês sair um Sonic e um Batman novo e ninguém do EOC ligar…

Anúncios

Sobre Maximus Decimus

Um carinha do barulho que vai armar altas confusões que até deus duvida nesse site que é um estouro.
Esse post foi publicado em To Be Continued e marcado , , , , , , . Guardar link permanente.

3 respostas para To Be Continued: Outubro/2013

  1. Ken-Oh disse:

    HAHHAH. Como meu PS3 modelo Fat decidiu partir dessa pra melhor fiquei com um monte de jogo preso pra zerar ou platinar. Mas enquanto ele tava funcionando, Deus lá sabe pq eu não quis, não quero e nem pretendo jogar GTA 5. Nunca curti a serie e esse é mais um que vou deixar passar, isso seria alguma síndrome hipster ?

    Bem mês que vem aparentemente não tem nada que me interesse, tava afim de joga Beyond: Two Souls desde a época de The Last of Us (eu confundi os dois jogos e não joguei o the last ainda), mas seriamente não vou arrisca agora, principalmente que a Sony cago a dublagem e a legenda de novo.

    Bem vou ver se dou uma corrida nos meses anteriores pra comprar umas coisas e de resto vou esperar ano que vem pois vai sair uns jogos que vou querer. Desse ano acho que só me arrisco com o jogo de luta dos Cavaleiros,acho pq não sou mais tão fã da serie e sinceramente a mecânica do jogo parece a mesma do PS2.

    • Putz, Cavaleiros é foda. Até hoje é minha referência pra ”regra dos 15 anos”. Mesmo já tendo consciência que a série original é muito, MUITO ruim, eu ainda torço sempre que sai um jogo novo pra que ele seja bom. Acho que o mais próximo que já cheguei de um jogo bom de CdZ foi um feito em RPG Maker 2k3, que tinha uma batalha em turno com sistema de cartas…e era uma DEMO só XD

      O GTA sempre tem gente que não curte. Eu não ”desgosto”, mas também não sinto vontade de jogar. Talvez seja o mundo muito aberto ou até a temática de crime que afasta algumas pessoas. Eu nem sei direito o porque de eu não me empolgar, mas, quando eu era mais novo, eu curtia bastante.

      • Ken-Oh disse:

        Caraca realmente cavaleiro é regra dos 15 anos com força, isso pro anime, pq o manga é tão merda que nem isso consegue fazer, nem sei como eu compro esse relançamento da JBC, deve ter magia negra nessa porra e olha que só leio uma vez,pois não consigo ler de novo. Como MDM define é a “leitura de uma cagada”.

        Quanto ao jogos os do ps2 são mais ou menos, o do PS3 que é Beat ‘em up é bem fraco se comparado a outros jogos de anime do mesmo gênero,One Piece Pirate Warrios e Hokuto Musou são 300 vezes melhores e mais desafiadores, além de terem cenários muito mais amplos. Mas vale o aluguel pra jogar por uns 2 dias que é o máximo pra platinar o jogo e aproveitar a nostalgia.

Deixe seu comentário, dica, opinião não relacionada ou propaganda descarada aqui

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s