Jogos violentos criam pessoas violentas?

Bem, aqui estou eu, depois de muito tempo, voltando ao blog. E já vou voltar com estilo, xingando muito no twitter uma reportagem, exibida hoje pela Record, sobre um jovem que teria matado sua avó graças ao videogame. Antes de mais nada, não vou falar do caso, não sei muito sobre o assunto e é uma perda para a família, e a razão do meu post é a forma como se trata a influência dos games violentos.

Infelizmente não achei a dita reportagem, que diz que em GTA você “ganha pontos” por matar inocentes (mas não responde se grávidas valem mais…). Mas achei essa outra aqui:

Agradeço à emissora por dar um ótimo exemplo de como o assunto é tratado por quem quer ganhar espaço com a polêmica ao invés de levá-lo a sério.

Notem que o repórter não entende nada do assunto (não falo de games, falo da questão efeito psicológico mesmo) e usa todas as frases clichês já antes utilizadas para definir os jogos violentos. E a especialista afirma uma “verdade” sem explicar de maneira alguma de onde vem seu conhecimento do assunto, quais são suas fontes ou com quantas pessoas ela fez uma pesquisa científica para respaldar a conclusão.

Pois bem, eu achei várias pesquisas que falam da violência relacionada aos videogames. Em 5 minutos… Não vou falar dos artigos em si porque seria um saco. Vou usar o resumo que os sites que citaram esses artigos fizeram. Novamente irei dar minha opinião sobre o que os dois lados da questão afirmam e farei, no final, um resumo do que penso. Tenha em mente que eu não fiz pesquisa nenhuma eu mesmo e não possuo qualquer respaldo pras leseiras que vou escrever, mas pelo menos adimito isso…

O Exame.com escreveu em 13/01/2012, sobre a pesquisa feita por um grupo de pesquisadores indianos, que “o cérebro dos garotos expostos ao conteúdo agressivo mostrou menos atividade em áreas relacionadas com emoções, atenção e inibição de impulsos.”

Pois é colega, jogar muitos jogos violentos, assim como assistir muito “Comando Para Matar”, faz seu cérebro reagir menos à violência. Isso quer dizer que você estará mais propenso a banalizar a violência.

Quando o nome do cara é John MATRIX você sabe que ele é foda!

O IDG Now escreveu em 16/02/2012 que os caras da Universidade do Missouri testaram assim: “Inicialmente, as pessoas jogavam ou um jogo violento ou um não violento por 25 minutos.(…) Depois disso, as pessoas eram expostas a uma sequência de fotos neutras e violentas, e as respostas do cérebro dessas pessoas às imagens eram medidas. Por fim, os participantes eram agrupados em pares e, em cada par, um dos membros tinha a oportunidade de submeter seu parceiro a uma carga ajustável de ruído. O nível de ruído que o participante escolheu usar foi interpretado como “medida” da agressão.”

Tudo certo… Até o som como “medida” da agressão…¬¬
No mesmo estudo: “”Mais que qualquer outra mídia, esses videogames encorajam a participação ativa na violência”, afirmou o professor associado Bruce Bartholow, um dos autores do estudo.”
O cara tinha que cagar a pesquisa dele… Como assim, mais que qualquer outra mídia? Você não falou nada sobre testes com outras mídias, o seu infeliz!
João Alfredo Nepomuceno escreveu no seu blog em 25/06/2011 que Os resultados de uma pesquisa desenvolvida na Universidade do Texas, nos EUA, concluiu que, no geral, o acesso a jogos violentos levam a um decréscimo na realização de crimes violentos.(…)os jogadores com instintos mais agressivos estariam essencialmente extravasando as vontades violentas do cérebro em um mundo virtual, tornando-os menos agressivos socialmente no mundo real.
(…)O que isso quer dizer é que, quanto mais os jogadores estão expostos (entretidos) aos jogos eletrônicos (violentos ou não), menos estão propensos a cometer qualquer tipo de delito, já que não estariam pelas ruas cometendo possíveis crimes. Isso é classificado, na verdade, como ‘efeito de incapacitação”, em que o indivíduo se envolve com uma prática e involuntariamente incapacita outra.
Confesso, eu nunca havia pensado por esse lado, pilantras são melhores em casa matando pessoas virtuais que nas ruas matando pessoas reais. Quanto a extravasar, faz sentido, conheço pessoas que já descontaram raiva nos games. Eu mesmo só arremessei o próprio CD de Dragon Quest 7 pela janela, mas…

Nunca antes um frisbee me pareceu tanto com um chute nas bolas

Já o Game Vicio, em 05/05/2011 escreveu sobre pesquisa da Huddersfield University. “Há muita preocupação com relação a games violentos e seus efeitos. Porém, esta pesquisa indica que matar alguém nos jogos não é tão real quando jogar um game de esporte, e que o cérebro reconhece isso”, disse o pesquisador.
Só se for o seu cérebro, meu velho. O meu acha o pébolzinho tão irreal quanto qualquer modern warfare… Agora, se o cérebro demonstra mais reação em gols perdidos que em um headshot kill…
Conclusão
Cara, eu jogo games a mais de 20 anos (tive um Atari… como sou velho!) e sou um cara extremamente pacato. Não acho que jogos violentos diminuam a violência, mas não acho que sejam bem eles que a criam. Pessoas com tendências violentas procuram esses jogos naturalmente. Aquele papo de que jogos, filmes e desenhos violentos atuam da mesma maneira é furado, personificar alguém violento para uma pessoa influenciavel é, na minha opinião, mais perigoso. Mas não acho que os produtos sejam o problema real, pessoas com problemas psicologicos não deviam usar esses produtos.
Na real, pais deviam prestar mais atenção no que seus filhos jogam, a classificação etária é bem clara para ajudar nisso. Já adultos (como os casos da reportagem do video lá em cima) é simples, cara joga o que quiser e paga por qualquer estupides que fizer. Esses malucos já eram problemáticos antes de conhecerem Duke Nukem.
E a Record devia parar de criar sensacionalismo. Se quer falar de um caso sério como esse, que envolve a morte de pessoas, faça seu dever direito. Uma emissora de TV não é um nerd gamer gordo que escreve em um blog não remunerado…
P.S.: Desculpem o sumiço… Espero ficar mais ativo daqui pra frente.
Anúncios

Sobre Ed Shemp

Mais um dos garotos perdidos que descobriu que o sentido da vida é um filme do Monty Python.
Esse post foi publicado em Opinião Polêmica da Discórdia e marcado , , . Guardar link permanente.

3 respostas para Jogos violentos criam pessoas violentas?

  1. CLONIX2000 disse:

    Clandelvas O Vicio eu sou gamer de jogos violentos e não vou por ai matando pessoas pelo contrario vou fazendo amizades e convivendo com todos aqueles que compartem o mesmo gosto do que eu por isso digo gostava de saber onde é ke esta especialista em video games ke fala na reportagem se baseou para dizer o ke dix num caso ke acontece num milhão . NÃO PODEM NOS APONTAR O DEDO DESSA MANEIRA É UMA FALTA DE RESPEITO PARA COM OS GAMERS QUE INVESTEM O SEU DINHEIRO PARA SE DIVERTIREM E ENCHEREM AS EMPRESAS DE DINHEIRO ÁS CUSTAS DO NOSSO VICIO QUE É SAUDAVEL. EU DIGO COM MUITO ORGULHO SOU GAMER COM MUITO GOSTO.

  2. Anna Luiza disse:

    Valeu, tenho que fazer uma redação sobre esse assunto e teus argumentos ajudaram a fundamentar os meus. Concordo contigo, ja tive um atari e é isso aí. Parabéns pelo blog 🙂

    • Ed Shemp disse:

      Obrigado pelos parabéns, Anna. Espero mesmo que tenha ajudado sua redação, e Atari foi o melhor presente de natal que ganhei!!
      Que inveja, queria que meus professores (que são todos chatos) me pedissem redação sobre assuntos legais assim…

Deixe seu comentário, dica, opinião não relacionada ou propaganda descarada aqui

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s