The Witcher 2

The Witcher 2 é um RPG desenvolvido pela empresa polonesa CD Projekt, que gerou tanto orgulho ao país que seu primeiro ministro, Donald Tusk, presenteou o presidente e popstar americano, Barack Obama, com uma edição do jogo. Bem, mas será que o trabalho da CD Projekt é tão bom assim?

Sinceramente falando, Barack não deve se arrepender de dispor um pouco (na verdade muito) de seu tempo para jogar The Witcher 2. O jogo é muito interessante, possui um story line rico e imersivo, no qual você toma decisões que alteram a jornada do protagonista, Geralt of Rivia, de maneira muito mais elaborada que um chifrinho ou uma aureola dependendo se você é mal ou bom. Na verdade todo o segundo capítulo do jogo muda, dependendo de uma escolha feita pelo jogador, passando assim uma clara sensação de controle sobre a história do game.

Artisticamente falando, Witcher 2 também não desaponta em nada. O jogo é muito bonito, com gráficos detalhados, personagens com ótima animação e cenários lindos e extensos, com bom level desing. O som é consistente, com efeitos sonoros que soam relistas e dublagem muito bem feita.

Mas nem tudo é perfeito no jogo. A jogabilidade sofre muito com um sistema de alvo muito mal elaborado. Funciona assim, você direciona o movimento de Geralt com o direcional, enquanto uma mira que visa o alvo mais propício define em quem o ataque será desferido. Soa simples e intuítivo, e seria se o alvo não mudasse frequentemente para o oponente detrás, fazendo Geralt entrar num verdadeiro corredor polonês (entendeu?…). Vale lembra, ataques efetuados na costas causam nada menos que 200% de dano!! Esse defeito causará mais mortes a Obama que a busca por Sadam…. A tecla alt trava sua mira, mas o combate é tão frenético e a tecla tão mal posicionada que o jogador acaba largando-a de lado. Eu não acho negativo que um jogo seja difícil pelas razões certas, e seu sistema de alvo mudar estúpidamente com certeza não é uma delas.

Os menus também são falhos. O jogador facilmente se perde em meio aos itens e acaba fazendo opções erradas pela funcionalidade contra-intuitiva. O mapa é bom, mas possui um irritante bug em que aleatóriamente marca seu objetivo no lugar errado, em um jogo sem fast travel isso pode ser bem frustante. Os tutoriais são fraquinhos também, confundindo o jogador sobre a funcionalidade de coisas que deveriam ser simples.

Esqueça as várias magias do arsenal de Geralt, apenas Quen, a magia de defesa, presta nesse jogo. E ela é absurdamente útil, tornando Geralt uma máquina de matar invulnerável, se bem usada. Aliás, a skill tree de Witcher 2 é bem fácil de se montar, melhore a magia Quen, invista o resto em sword e esqueça completamente a alquimia. Para um jogo tão versátil na história, a evolução do personagem não tem muitas opções atrativas…

Mas apesar dos pontos negativos o game é muito recompensador na experiência total. Recomendo a todos os maiores de idade (sim, maiores de 18, esse é um jogo adulto!!) que possuam uma máquina capaz de rodá-lo, concorrente fortíssimo a melhor RPG do ano, com Skyrim chegando deve ficar entre os dois. E sim, esse jogo é melhor que Dragon Age 2, aliás, essa comparação é até injusta…

Créditos do video: IGNentertainment

Anúncios

Sobre Ed Shemp

Mais um dos garotos perdidos que descobriu que o sentido da vida é um filme do Monty Python.
Esse post foi publicado em Reviews e marcado , , , . Guardar link permanente.

Uma resposta para The Witcher 2

  1. Pingback: Saints Row The Third « This is Happy End

Deixe seu comentário, dica, opinião não relacionada ou propaganda descarada aqui

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s